centro de pesquisa jurídica SÍLVIA MOTA

usuário(s) online

Enciclopédia Virtual de Bioética e Biodireito

Autora: Professora Sílvia Mota

 

*Esta página foi atualizada em 13/05/09*

______________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Créditos para a realização desta pesquisa:

Autor: Joffre M. de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás.
Membro da Sociedade Brasileira e da Sociedade Internacional de História da Medicina.
Publicado na Revista Paraense de Medicina, v. 17, n. 1, p. 38-47, abr./jun. 2003.

_________________________________________________________________________________________________________________________________

 

       

Traduções do texto original

 

A partir dos manuscritos já referidos, foram feitas traduções do juramento de Hipócrates em latim, hebraico, árabe e nos demais idiomas.

Duas traduções em inglês e duas em francês tornaram-se clássicas e têm servido de referência para as versões em outros idiomas.

 

As versões clássicas em inglês são a de Francis Adams, de 1849, transcrita na coleção Harvard Classic, vol. 38, de 1910, e a de W.H.S. Jones, que se encontra na coleção Loeb Classical Library, desde 1923 [5]/6] As versões em francês são a de Littré, de 1844, e a de Daremberg, de 1855[7][8]

 

Transcrevemos a seguir a tradução de Adams, em inglês, e a de Littré, em francês:

 

The oath by Hippocrates

(Translated by Francis Adams)

 

I SWEAR by Apollo the physician, and Aesculapius, and Health, and All-heal, and all the gods and goddesses, that, according to my ability and judgment, I will keep this Oath and this stipulation- to reckon him who taught me this Art equally dear to me as my parents, to share my substance with him, and relieve his necessities if required; to look upon his offspring in the same footing as my own brothers, and to teach them this art, if they shall wish to learn it, without fee or stipulation; and that by precept, lecture, and every other mode of instruction, I will impart a knowledge of the Art to my own sons, and those of my teachers, and to disciples bound by a stipulation and oath according to the law of medicine, but to none others. I will follow that system of regimen which, according to my ability and judgment, I consider for the benefit of my patients, and abstain from whatever is deleterious and mischievous. I will give no deadly medicine to any one if asked, nor suggest any such counsel; and in like manner I will not give to a woman a pessary to produce abortion. With purity and with holiness I will pass my life and practice my Art. I will not cut persons laboring under the stone, but will leave this to be done by men who are practitioners of this work. Into whatever houses I enter, I will go into them for the benefit of the sick, and will abstain from every voluntary act of mischief and corruption; and, further from the seduction of females or males, of freemen and slaves. Whatever, in connection with my professional practice or not, in connection with it, I see or hear, in the life of men, which ought not to be spoken of abroad, I will not divulge, as reckoning that all such should be kept secret. While I continue to keep this Oath unviolated, may it be granted to me to enjoy life and the practice of the art, respected by all men, in all times! But should I trespass and violate this Oath, may the reverse be my lot.

 

Serment d’Hippocrate

(Traduction de Littré)

 

Je jure, par Apollon, médecin, par Esculape, par Hygie et Panacée, par tous les dieux et toutes les déesses, les prenant à témoin, que je remplirai, suivant mes forces et ma capacité, le serment et l'engagement suivants: je mettrai mon maître de médecine au même rang que les auteurs de mes jours, je partagerai avec lui mon avoir, et, le cas échéant, je pourvoirai à ses besoins; je tiendrai ses enfants pour des frères, et, s'ils désirent apprendre la médecine, je la leur enseignerai sans salaire ni engagement. Je ferai part des préceptes, des leçons orales et du reste de l'enseignement à mes fils, à ceux de mon maître, et aux disciples liés par un engagement et un serment suivant la loi médicale, mais à nul autre. Je dirigerai le régime des malades à leur avantage, suivant mes forces et mon jugement, et je m'abstiendrai de tout mal et injustice. Je ne remettrai à personne du poison, si on m'en demande, ni ne prendrai l'initiative d'une pareille suggestion; semblablement, je ne remettrai à aucune femme un pessaire abortif. Je passerai ma vie et j'exercerai mon art dans l'innocence et la pureté. Je ne pratiquerai pas l'opération de la taille, je la laisserai aux gens qui s'en occupent. Dans quelque maison que j'entre, j'y entrerai pour l'utilité des malades, me préservant de tout méfait volontaire et corrupteur, et surtout de la séduction des femmes et des garçons, libres ou esclaves. Quoi que je voie ou entende dans la société pendant l'exercice ou même hors de l'exercice de ma profession, je tairai ce qui n'a jamais besoin d'être divulgué, regardant la discrétion comme un devoir en pareil cas. Si je remplis ce serment sans l'enfreindre, qu'il me soit donné de jouir heureusement de la vie et de ma profession, honoré à jamais parmi les hommes; si je le viole et que je me parjure, puissè-je avoir un sort contraire!

 

Em português há várias traduções, a maioria baseada nos textos clássicos em inglês ou francês, e outras feitas diretamente do texto grego, hoje facilmente acessível em reproduções impressas.

 

Transcrevemos, a seguir, a tradução em português de Bernardes de Oliveira, autor do livro A evolução da medicina até o seculo XIX, baseada no texto inglês de Jones[9].

 

Juramento de Hipócrates

 

Juro por Apolo Médico, por Esculápio, por Higéia, por Panacéia e por todos os deuses e deusas, tomando-os como testemunhas, obedecer, de acordo com meus conhecimentos e meu critério, este juramento: Considerar meu mestre nesta arte igual aos meus pais, fazê-lo participar dos meios de subsistência que dispuser, e, quando necessitado com ele dividir os meus recursos; considerar seus descendentes iguais aos meus irmãos; ensinar-lhes esta arte se desejarem aprender, sem honorários nem contratos; transmitir preceitos, instruções orais e todos outros ensinamentos aos meus filhos, aos filhos do meu mestre e aos discípulos que se comprometerem e jurarem obedecer a Lei dos Médicos, porém, a mais ninguém. Aplicar os tratamentos para ajudar os doentes conforme minha habilidade e minha capacidade, e jamais usá-los para causar dano ou malefício. Não dar veneno a ninguém, embora solicitado a assim fazer, nem aconselhar tal procedimento. Da mesma maneira não aplicar pessário em mulher para provocar aborto. Em pureza e santidade guardar minha vida e minha arte. Não usar da faca nos doentes com cálculos, mas ceder o lugar aos nisso habilitados. Nas casas em que ingressar apenas socorrer o doente, resguardando-me de fazer qualquer mal intencional, especialmente ato sexual com mulher ou homem, escravo ou livro. Não relatar o que no exercício do meu mister ou fora dele no convívio social eu veja ou ouça e que não deva ser divulgado, mas considerar tais coisas como segredos sagrados. Então, se eu mantiver este juramento e não o quebrar, possa desfrutar honrarias na minha vida e na minha arte, entre todos os homens e por todo o tempo; porém, se transigir e cair em perjúrio, aconteça-me o contrário.

 

Em todos os idiomas, as traduções oferecidas diferem entre si em alguns aspectos relativos à linguagem empregada, embora mantenham todas o núcleo central dos preceitos que compõem o juramento.

 

Analisando-se o teor de várias traduções, verificamos que as diferenças existentes entre elas se encontram principalmente em algumas passagens e no significado de determinadas palavras gregas, que não encontram equivalentes em outros idiomas ou, o que é mais comum, na sua polissemia, que permite um leque de opções na língua de chegada.

 

Selecionamos dez das mais acreditadas versões em português, sendo oito do Brasil e duas de Portugal para um estudo comparativo de como aquelas palavras foram traduzidas. As versões utilizadas foram as seguintes:

 

Brasil

 

1. Flamínio Fávaro - Livro de Medicina Legal.

2. Ivolino de Vasconcelos - Instituto Brasileiro de História da Medicina.

3. René Laclete - Livro História da Medicina, de Arturo Castiglioni (trad.).

4. Bernardes de Oliveira - Livro A evolução da medicina até o século XIX.

5. Otacílio Carvalho Lopes - Livro A medicina no tempo.

6. Alexandre Correa - Revista Paulista de Medicina, abril de 1974.

7. Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP).

8. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP).

 

Portugal

 

9. Tradução baseada em Edelstein e F. Guerra.

10. Tradução baseada em Littré.

 

O primeiro exemplo encontramos nas palavras dynamis kaí krísin, expressão empregada em duas passagens, uma no primeiro parágrafo e outra no terceiro parágrafo.

 

Expressão utilizada                    Nº de traduções

habilidade e julgamento                                   2

poder e discernimento                                     1

poder e razão                                                3

conhecimento e critério                                   1

força e aptidão                                              1

força e inteligência                                         1

capacidade e discernimento                              1

 

No terceiro parágrafo

habilidade e julgamento                                   2

autoridade e discernimento                               1

saber e razão                                                2

habilidade e capacidade                                   1

força e juízo                                                  1

poder e entendimento                                     1

força e inteligência                                         1

melhor parecer                                               1

 

O segundo exemplo temos na expressão diaitémasi te khrésomai, que abre o terceiro parágrafo. Diaite, em grego, tanto significa dieta como regime de vida.

 

Expressão utilizada                    Nº de traduções

Aplicarei os regimes                                        3

Seguirei aqueles regimes                                  2

Adotarei o regime                                           1

Prescreverei o regime                                      1

Prescreverei o regime dietético                         1

Ordenarei a dieta                                            1

Aplicarei os tratamentos                                  1

 

Outro exemplo está na expressão phármakon...thanásimon, encontrada no quarto parágrafo. Phármakon, em grego, expressa qualquer substância capaz de atuar no organismo, seja no sentido benéfico ou maléfico, ou seja como remédio ou como veneno. Nas dez versões em português deparamos com as seguintes traduções:

 

Expressão utilizada                    Nº de traduções

remédio mortal                                               4

medicamento mortal                                        1

droga mortal                                                  1

venenos mortais                                             2

venenos                                                       2

 

A crítica que se pode fazer neste passo diz respeito à expressão "remédio mortal" ou "medicamento mortal". É uma incongruência a denominação de remédio ou medicamento mortal. Se é reconhecidamente mortal, deixa de ser remédio ou medicamento e passa a ser veneno.

 

A proibição da prática do aborto no texto original refere-se ao uso de pessário, naturalmente o recurso existente na época de Hipócrates, que poderia ser empregado pelos médicos. Nas versões modernas, a tradução por vezes foge ao original, com a intenção de abranger outros métodos abortivos atualmente disponíveis.

 

Expressão utilizada                    Nº de traduções

pessário abortivo                                            6

medicação abortiva                                         1

remédio abortivo                                            1

substância abortiva                                        1

(sem referência)                                             1

 

Outra passagem que apresenta diferenças marcantes nas diferentes versões é a do antepenúltimo parágrafo, onde se lê no original grego: aphrodisíon érgon epi te gynaikeíon somáton kaì andreíon... Nas dez versões em português foram usadas as seguintes traduções:

 

Expressão utilizada                    Nº de traduções

sedução de mulheres e de homens                     2

sedução de mulheres e homens                         1

sedução de mulheres e de rapazes                     1

sedução, sobretudo os prazeres do amor            1

prazeres do amor com mulheres ou com homens   2

contactos sexuais com mulheres e homens1

comércio voluptuoso, seja com mulher ou homem 1

ato sexual                                                     1

 

Vemos que todas as versões citadas afastaram-se da tradução literal. A expressão aphrodision érgon tem o sentido de ato erótico, e gynaikeion somáton kaí andreion "corpo de mulher e de homem". A tradução mais próxima do texto seria "ato libidinoso em corpo de mulher ou de homem". O ato libidinoso difere de "sedução" e de "prazeres do amor" e nem sempre culmina com o "ato sexual". Pode ser praticado com ou sem participação da outra pessoa.

 

Das traduções citadas, a que mais se aproxima do texto original é "comércio voluptuoso, seja com mulher ou homem". "Comércio", no entanto, subentende o concurso de ambas as partes, enquanto "ato" pode ser unilateral. Em traduções francesas, usa-se a expressão entreprise voluptuese. Em uma versão em espanhol, o tradutor se refere tão somente à "seducción de las mujeres jóvenes, libres o esclavas".

 

No penúltimo parágrafo, a expressão bíon anthrópon foi traduzida do seguinte modo:

 

Expressão utilizada                    Nº de traduções

vida dos homens                                            3

vida do homem                                               1

comércio da vida                                            2

convívio social                                               1

convívio da sociedade                                     1

(sem referência)                                             2

 

Estas dificuldades e variações de tradução são comuns a todos os idiomas. O importante é que o tradutor consiga transmitir a idéia contida no texto original de forma expressiva e com a máxima exatidão. O juramento é simbólico e impregnado de sacralidade, qualquer que seja a sua tradução. O importante é o compromisso que o recém-formado assume perante sua própria consciência e a sociedade de cumprir os preceitos éticos contidos no juramento.

 

_________________________________________________________________________________________________________________________________

Voltar à página de abertura da Enciclopédia Virtual de Bioética e Biodireito

Texto incluído em: 26 de julho de 2007.

Professora Sílvia Mota.

silviamota@silviamota.com.br