*Esta página foi atualizada em 03/02/14*

| Home | Direito | Bioética e Biodireito | Pesquisa Jurídica | Alunos Direito | Outras Áreas | Budismo | Curriculum |

 

 

Esquema: técnica de estudo

 

Formular um esquema significa traçar o esqueleto da obra; organizar o texto com lógica, colocando em destaque a inter-relação das idéias. Um esquema ajuda o pesquisador a assimilar a matéria e levantar as idéias do texto (análise), ordenando-as (síntese). É uma forma ativa de se tomar contato com o assunto, obrigando o estudioso a retirar do texto as idéias principais, os detalhes importantes e as idéias secundárias que subsidiam as idéias principais. Ao mesmo tempo, reduz-se a poucas linhas ou páginas a obra estudada; estabelecem-se relações entre os fatos, as idéias e a idéia central do texto, subordinando-as. Por essas razões, aconselha-se aos que se iniciam na pesquisa e mesmo àqueles que necessitem realizar trabalhos acadêmicos que demandam a consulta a várias fontes, que utilizem a técnica do esquema.

O esquema deve ser elaborado mantendo-se fiel às idéias do autor, sem alterá-las. Será formulado conforme as necessidades de cada pessoa, através de gráficos, símbolos, códigos e palavras. Não há regras; fornecem-se apenas dicas para sua elaboração:

a)       após leitura minuciosa do texto, sublinhando as idéias principais e os detalhes importantes, é permitido dar títulos e subtítulos, anotando-os à margem;

b)       os sistemas de colchetes, chaves e colunas são apontados para separar as divisões sucessivas. O sistema de numeração progressiva (1, 1.1, 1.2, 2, 2.1, etc.) cabe para a identificação dos títulos e subtítulos e as letras minúsculas, ou alíneas [a), b), c)], para indicar as divisões sucessivas;

c)       para facilitar a apreensão rápida das idéias poderão ser utilizados símbolos, abreviaturas convencionais. Exemplos: ® ­ ¯ ¬ Ï Î + - « = @ ¹ ¸;

d)       os gráficos do tipo organograma são indicados nas estruturas, relações, etc.

 

Modelo de esquema

Texto matriz: GARCIA, Ana Maria Felippe. O conhecimento. In: HÜHNE, Leda Miranda (Org.). Metodologia científica: caderno de textos e técnicas. 7. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1997, p. 45.

 

Parágrafo 1º:

Relações: HOMEM  CONHECIMENTO

a)            faz conhecimento (dimensão histórica)

b)            usa conhecimento (dimensão social)

c)            posiciona-se frente ao conhecimento (dimensão política)

•              Qual o papel do conhecimento?

 

Parágrafo 2º:

HOMEM = ser que renasce através do conhecimento

Etimologicamente: connaissance (palavra francesa)

naissance = nascer

com = com

HOMEM => capacidade de conhecer => outros seres:

a)            possui razão = capacidade de elaborar e interpretar o conhecimento;

b)            capacidade de se relacionar;

c)            capacidade de ir além da realidade imediata => criação

 

Parágrafo 3º:

HOMEM, através da linguagem: interpreta o mundo real e se mostra nessa interpretação;

CONHECIMENTO é um processo; uma forma sempre nova de estar no mundo.

 

IDÉIA-CHAVE

HOMEM => aberto ao real (histórico) => renasce sempre => CONHECIMENTO