centro de pesquisa jurídica SÍLVIA MOTA

usuário(s) online

Pesquisa científica passo-a-passo

Autora: Professora Sílvia Mota

*Esta página foi atualizada em 21/03/09*

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Estrutura da monografia

 

Exemplo de artigo científico >>>

______________________________________________________________________________________________________________________________________________

Resumo/Descritores

 

O resumo será elaborado em, no máximo, 500 palavras.

 

Exemplo de resumo de monografia >>>

______________________________________________________________________________________________________________________________________________

Introdução

 

A introdução da monografia é o começo do discurso, a enunciação da idéia-chave. Conterá uma visão global do tema e, necessariamente, a natureza jurídica do instituto em estudo, além das questões norteadoras, os objetivos da pesquisa, a justificativa da pesquisa e a metodologia utilizada na busca de solução do problema. Deve ser coerente com o desenvolvimento e a conclusão do texto e não deve conter nada que não tenha sido abordado no trabalho. Finalmente, deve-se anunciar cada capítulo da monografia é um breve parágrafo.

______________________________________________________________________________________________________________________________________________

Desenvolvimento

 

O desenvolvimento compreende dois momentos: a explanação das idéias e sua demonstração.  No discurso jurídico, caracteriza-se como o momento em que se trará as provas comprobatórias.  É, pois, a exposição, com requintados detalhes, do que foi dito na introdução. Apresentado de forma descritiva, tem por finalidade expor e demonstrar a fundamentação lógica do artigo científico. Neste contexto, formula a proposta, explica, discute e demonstra, num encadeamento que se dá no encalço da etapa final: a conclusão.

 

No processo de construção das idéias deve-se evitar generalizações (exemplo: “todo mundo sabe...”); resistir à tentação de empregar terminologia com significado subjetivo; buscar escrever para expressar idéias, utilizando variedade de expressões, evitando frases muito longas, entre outros.

 

O desenvolvimento, geralmente, é dividido em partes.  Cada parte deve corresponder a um aspecto que tenha ligação com o todo que está sendo estudado, dando uma visão integrada e lógica que possibilite ao leitor situar-se em relação ao encadeamento das idéias.

 

A linguagem científica precisa ser observada, eliminando-se palavras supérfluas, pedantismos, gírias na argumentação, evitando-se ainda o uso de aumentativos, superlativos e diminutivos, o que prejudica a força do estilo.

___________________________________________________________________________________

Conclusão

 

A conclusão é a parte final do discurso, a síntese do que foi apreendido.  Significa o fecho, o corolário do discurso.  É a última oportunidade de convencimento.  Daí, sua importância.  Por exemplo, o juiz, na conclusão de uma sentença, absolve ou condena.

 

A conclusão deve conter alguns elementos estruturais para que a culminância aqui especificada se efetive: recapitulação das conclusões a que o autor chegou em cada parte do desenvolvimento; análise das inferências, conseqüências a que o estudante atingiu ao longo de sua busca, ou seja, a conclusão propriamente dita do trabalho; propostas e sugestões para estudos posteriores.

 

É fundamental que a conclusão esteja relacionada com os objetivos perseguidos e com as questões levantadas, cuidando o autor, no entanto, de não introduzir nenhum elemento novo, não discutido no corpo do trabalho.

 

A conclusão é um regresso à introdução.  Há um movimento circular.  O leitor tem a impressão de estar diante de um sistema harmônico, conclusivo em si mesmo. É possível ler esta parte do trabalho e ficar sabendo a idéia geral do autor, sem ler nenhuma parte isolada do trabalho.  Deve-se, pois, transmitir de modo resumido, mas pleno de significado, tudo o que na obra tem maior relevo.  Sendo a última parte da monografia é também o momento do autor se posicionar integralmente assumindo uma opinião, resumindo sua posição pessoal. 

___________________________________________________________________________________

Referências

Exemplo de listagem de referências >>>

 

A lista de referências é a parte final e essencial de qualquer trabalho científico. Sua finalidade é colocar à disposição do leitor indicativos precisos e detalhados a respeito de todas as fontes bibliográficas e/ou documentais utilizadas na elaboração da obra.

 

As referências dos documentos consultados e citados no corpo do trabalho devem ser organizadas de acordo com as normas da ABNT.


______________________________________________________________________________________________________________________________________________

Voltar à página de abertura do centro de pesquisa jurídica SÍLVIA MOTA

 

Texto incluído em: 26 de julho de 2007.

Professora Sílvia Mota.

http://www.silviamota.com.br

silviamota@silviamota.com.br