Textos

Revolta da vacina - 1904
 
“O governo arma-se desde agora para o golpe decisivo que pretende desferir contra os direitos e liberdades dos cidadã os deste país. A vacinação e revacinação vão ser lei dentro em breve, não obstante o clamor levantado de todos os pontos [...] o atentado planejado alveja o que de mais sagrado contém o patrimônio de cada cidadão: pretende se esmagar a liberdade individual sob a força bruta [...]” (Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 7 out. 1904).

O trecho em epígrafe alude à “revolta da vacina”, ocorrida em 1904 no Rio de Janeiro, destacada habitualmente como um dos marcos históricos na trajetória das políticas públicas brasileiras de saúde. À época, inúmeras pessoas negaram-se submeter à imunização, por desconhecerem os benefícios decorrentes da campanha. Sendo assim, as primeiras campanhas foram achincalhadas, sob protestos da população, sendo necessário, mesmo, o uso da força policial. Episódios como esses destacam a relevância da autoconscientização dos indivíduos frente às novas descobertas da medicina. Se, no início do Século XX, os criadores das políticas de saúde tivessem como referencial princípios éticos hoje decantados, conflitos dessa natureza teriam sido evitados.
 
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 16/01/2014
Alterado em 01/09/2016
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr