Textos


És meu... // Vinho

É vasta a vinha...
Rubro,
Louco o vinho
Entontece
Se me avizinho
À graça cristalina
Da taça...
Na aflita boca
Plana a alma pluma
E paira a tilintar
Sobre a crista da onda espuma...
Invade a garganta,
A alma ruma sem norte,
Perde-se no céu da boca
E sem destino busca
na solitude do prazer
Outro trago de vinho forte.


Sílvia Mota e Jaime Valente
Poetas e Escritores do Amor e da Paz
Porto, 14 de outubro de 2010
Rio de Janeiro, 24 de outubro de 2010 – 4h18
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz e Jaime Valente
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 19/01/2014
Alterado em 23/04/2017
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr